Nesta data, o país inteiro comemora o dia da independência com as já conhecidas paradas militares, desfiles de alunos de escolas, enfim é uma tradição nossa comemorar o dia de sete de setembro pelos quatro cantos da nação.

Mas tem que se destacar qual é o real significado deste dia, posto que segundo os historiadores foi na margem do riacho Ipiranga que o rei Dom Pedro I, em janeiro de 1822, declarou a independência do Brasil por não aceitar posição de submissão à Portugal, ato esse materializado no famoso quadro “ Grito do Ipiranga”, do artista Pedro Américo.

Atualmente, mais precisamente nos últimos dias, todos os meios de comunicações do país noticiaram a apreensão de malas de dinheiro em um apartamento, supostamente alugado por Geddel Vieira, em esquema ligado à operação da PF “ Lava Jato”, que totalizou a vultosa soma de R$ 51 milhões em espécie, dentre reais e dólares.

Também, não se pode olvidar que o estrategista da JBS, Joesley Batista, entregou uma gravação que cita nome de Ministros do Supremo Tribunal Federal, Levando a crer que enganou o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, no que pese ao acordo de deleção premiada assinado.

Aos olhos tão apenas da operação “ Lava Jato”, depreende-se de forma clara e cristalina que os três poderes da República aparecem envolvidos de alguma forma nesse esquema, seja por meio de depoimentos pessoais, gravações, denúncias de pagamento de propina a ex-ministro do STJ, enfim, está um verdadeiro lamaçal.

Diante dessa estratagema construída por essa parcela da classe de políticos, de parte de membros do executivo, do legislativo e do judiciário brasileiro, comum se tornou os afagos e troca de favores ( leia-se: indicação política para ocupar cargos comissionados, vagas em Tribunais e liberação de emendas parlamentares conforme o astral político do executivo federal), o que corrobora para a perpetuação de um sistema político baseado no fisiologismo, o que foge ao conceito republicano e democrático assim preceituado na Constituição Federal de 1988.

Nesse ponto, não se vislumbra qualquer saída ética e moral para o atual sistema político brasileiro senão a declaração de morte ao sistema atual político que aqui se encontra, sem direito a nenhum tipo de apelação ou recurso.

Assim, o Brasil ainda se revela dependente e em leito de uti, prestes a ser decretado morto, se esse arquétipo político permanecer vigente em nosso país.

*Frederico Cortez- Advogado
Cortez&Gonçalves Advogados Associados.
www.cortezegoncalves.adv.br

Este artigo também foi publicado no Blog do Eliomar (JORNAL O POVO ON-LINE) em 07/09/2017 sob o título:http://blogdoeliomar.com.br/dependencia-e-morte-sistema-politico-brasileiro/

Você talvez queira ler também: